um pouco de nossa história

FAZENDA 23 DE MARÇO

Em 07 a 11 de outubro de 1987, em Essen – Alemanha, durante o “CONGRÉS DE L’UNION INTERNATIONALE DE PHLÉBOLOGIE, quando Dr. João Julio Dittmar (Cirurgião vascular) participava desse evento, apresentando trabalho científico original sobre o assunto “Tratamento cirúrgico de Varizes com incisões puntiformes”, recebe em caráter de urgência, uma ligação de Campo Grande/MS – Brasil, oriunda de seu irmão Roberto Oliveira Dittmar perguntando-lhe qual o nome que gostaria de colocar no “quinhão” de terra que seria sua parte na herança de Romeu Oliveira Dittmar e Isaura de Oliveira Dittmar, seus pais.

Como o Roberto (Beto) estava no cartório registrando a propriedade aos respectivos herdeiros da fazenda Santa Cruz (Rosaura, João Julio e Roberto), necessitava urgente o nome do local que iria pertencer ao dr. João Julio. Decisão difícil através de um simples telefonema, num momento onde a “cabeça” do dr. João Julio estava dedicada exclusivamente à medicina. Então, num instante iluminado perguntou, “de quem é a propriedade?” e logo veio a ideia de colocar a data de nascimento dele, 23 de março.

E assim ficou, e ainda por grande coincidência, sem nada previsto ou combinado, em 23 de março de 1988 foi fundada a Fazenda 23 de Março, data de aniversário de seu proprietário, dr. João Julio Dittmar.

nossa estrutura

Quarto Vô João
equipamentos
pescaria4
dsc07124
Piscina fazenda 23 de março
Sede 23 de março
dsc07119
suíte
DCIM999GOPRO
quarto3
quarto2
Caminho Refeitório

o que nossos clientes dizem

SOBRE NÓS

“A natureza do pantanal e a excelencia de um espetacular hotel”

Lugar lindo que te faz descansar em contato com a natureza. Os funcionários da fazenda são ótimos. Contam muitas histórias do lugar. A comida é fantástica. Nos passeios se aprende muito sobre a natureza e a vida pantaneira. Recomendo pra quem precisa se conectar com a própria essencia. Tivemos uma semana maravilhosa.

“Maravilhoso”

A fazenda 23 de março com certeza é o melhor destino para quem quer conhecer o Pantanal.

Diego P. Fernandes